Diretor do IFAB ministrou aulas para a primeira turma de árbitros do segundo ciclo de aperfeiçoamento do VAR promovido pela CBF

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

A International Football Association Board (IFAB), órgão que regulamenta as regras do futebol, esteve representada no 2º Curso de Capacitação para Árbitros Assistentes de Vídeo promovido pela Comissão de Arbitragem da CBF em parceria com a Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (ENAF). Desde o dia 27 de junho, David Roland Elleray acompanha de perto as atividades realizadas pela primeira turma de árbitros, que se encerra no próximo sábado (30).

Ex-árbitro do quadro da FIFA, o inglês é um dos responsáveis pela implementação do VAR (sigla em inglês de árbitro assistente de vídeo) ao redor do mundo. Atualmente Diretor Técnico do IFAB, o especialista ministrou aulas e transmitiu aos alunos todo o conhecimento adquirido no tema tão atual. Com intervenções precisas, David Elleray contribuiu diretamente na qualificação dos 16 participantes.

Dentro de sala de aula, David reforçou os principais conceitos e protocolos do VAR. Nas atividades práticas, orientou as equipes durante todos os exercícios. Em entrevista à CBFTV, o professor resumiu a essência do novo sistema.

– A principal filosofia do projeto do VAR é “mínima interferência, máximo benefício”. Nós não queremos destruir o ritmo, a dinâmica e a emoção do futebol, mas sim ajudar os árbitros a tomarem as decisões corretas

Em reta final de preparação para o uso do VAR nas quartas de final da Copa do Brasil 2018, o Brasil teve seu papel ressaltado pelo representante do IFAB. De acordo com David Elleray, a representatividade do país do futebol fortalece o desenvolvimento do sistema do árbitro de vídeo.

– É muito bom que o Brasil, um dos principais países do mundo com relação ao futebol, está envolvido com o projeto do VAR e está se preparando para implementá-lo no futuro. O trabalho que fizemos nesta semana tem sido de altíssima qualidade: os árbitros, os assistentes, os VARs e AVARs, os operadores de replay, além do grupo de instrutores, trabalharam bastante. Um excelente progresso foi conquistado nesta semana.

O representante do IFAB fez questão de elogiar a dedicação dos árbitros brasileiros participantes nesta etapa de treinamento. Na visão de David, o esforço reflete diretamente na evolução conquistada durante a semana.

var

– O mais importante, para qualquer pessoa, em particular para os árbitros e os VARs é comprometimento profissional para trabalhar pesado. Os árbitros tiveram grande avanço nesta semana porque estiveram focados, altamente concentrados e dispostos a aprender. Portanto, estou muito satisfeito com tudo que foi realizado até agora.

Por fim, o renomado profissional da arbitragem britânica e mundial avaliou a utilização do VAR na Copa do Mundo da FIFA. Para o ex-árbitro, o balanço até o momento é positivo.

– Eu acredito que o uso do VAR na Copa do Mundo demonstrou ser um benefício para o futebol. É claro que nem sempre é perfeito, em razão das tantas decisões que podem ser subjetivas e as pessoas tem opiniões diferentes. Mas, um grande número de jogos tiveram resultados mais justos graças ao envolvimento do VAR. O importante, no entanto, é que vimos boas arbitragens no Mundial, auxiliadas pelo VAR para tornar a competição mais justa.

O Brasil assumiu um papel fundamental na criação do VAR. O projeto base que definiu os protocolos adotados pela IFAB foi criado por Manoel Serapião, com o apoio da Comissão de Arbitragem da CBF e da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (ENAF). O Diretor Técnico da ENAF liderou o programa que traçou as diretrizes para o uso da nova tecnologia.

– O projeto da CBF anteviu os benefícios do VAR. Além de mais ética, previu menos tempo de bola parada, mais gols legítimos. Também contribuiu no comportamento dos atletas. Hoje, o jogo se desenvolve com menos cartões, simulações e lesões – avaliou Serapião, que revelou os elogios recebidos pelo convidado especial.

– O balanço que David fez da estrutura do curso foi extremamente positivo. Elogiou o nível de preparação dos árbitros, que mostraram desenvoltura durante o treinamento, necessitando de apenas pequenos ajustes e prática para o total domínio da ferramenta. Ele também destacou o trabalho dos instrutores, a concentração dos alunos e as atividades desenvolvidas.  O Brasil está no caminho certo – concluiu Serapião.

O Curso de Capacitação para Árbitros Assistentes de Vídeo está em seu segundo ciclo. Assim como em 2017, a elite da arbitragem brasileira está reunida em Águas de Lindóia para o aperfeiçoamento do uso do VAR. O treinamento consiste em aulas teóricas e práticas e tem como principal objetivo preparar os árbitros para a implementação da nova ferramenta na reta final da Copa do Brasil 2018.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×